Frente em Defesa da EBC e da Comunicação Pública lança a Ouvidoria Cidadã da EBC nesta quarta (16)

A medida busca restabelecer a comunicação pública pela sociedade e registrar inadequações em conteúdos veículados 16 de dezembro de 2020 Sara Dutra

Nesta quarta-feira (16/12), será lançada a Ouvidoria Cidadã da EBC. O projeto é uma iniciativa da Frente em Defesa da EBC e da Comunicação Pública, que tem como objetivo analisar conteúdos publicados e veiculados pela Empresa Brasil de Comunicação (EBC), com princípios da comunicação pública, que deveriam orientar a produção da TV Brasil, rádios Nacional e MEC, Agência Brasil e Radioagência Nacional, bem como perfis desses veículos nas redes sociais.

A medida se faz necessária em vista do desmonte que a EBC vem sofrendo desde 2016, quando a Medida Provisória 477 depôs o Conselho Curador em oposição à lei 11.652/2008, de criação da EBC. O órgão garantia que a empresa tivesse conteúdos que representassem os interesses da sociedade.

“A EBC perdeu seu caráter de comunicação pública quando desfez os instrumentos de participação. A Ouvidoria perdeu seu papel crítico. O Conselho foi desfeito. O governo apoderou-se de toda gestão e passou a interferir nos conteúdos. Uma Ouvidoria Cidadã poderá cumprir um papel inestimável de observatório, documentação, denúncia e pressão no diálogo com a sociedade sobre o uso político atual e o destino do projeto EBC”, disse a ex-presidenta do Conselho Curador da EBC, Rita Freire.

A Ouvidoria tem funcionado como um instrumento de comunicação institucional desde 2018. Além disso, deixou de cumprir exigências legais como escrever boletins internos de crítica à programação e conduzir programas de análise dos conteúdos para veiculação nas emissoras públicas. Assim, a Ouvidoria Cidadã busca registrar inadequações de conteúdos transmitidos e contribuir para a volta da comunicação pública pela sociedade.

O lançamento da Ouvidoria Cidadã da EBC, será às 19h com uma live transmitida através do Canal do Youtube do Sindicato dos Jornalistas do Distrito Federal.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *