Jornalista é executado a tiros no Mato Grosso

Edney Menezes havia participado da campanha do prefeito reeleito Maurício Ferreira de Souza (PSD), mas a polícia descarta motivação política 19 de novembro de 2020 Sara Dutra

Na noite do último domingo (15/11), o jornalista Edney Menezes, 44 anos, foi assassinado com tiros à queima-roupa dentro do seu carro no Centro de Peixoto de Azevedo, cidade a 692 km de Cuiabá, Mato Grosso.

Em vídeo registrado pela câmera no local, dois homens se aproximam do carro, um HB20, e efetuam três disparos contra o jornalista. Segundo a família, Edney Menezes estava sofrendo ameaças. “Ele falou que estava sendo ameaçado, mas não dizia por quem. Estava feliz. trabalhando na campanha, mas tentava tirar porte de arma, já prevendo o que ia acontecer. Ele disse que ia morrer”, disse a irmã.

O irmão do jornalista, Luis Carlos, também foi executado, no dia 28 de janeiro de 2020 por envolvimento com drogas. Mas não há indícios de que o jornalista também tenha relação com o crime.

Edney trabalhou na campanha e assessoria do prefeito Maurício Ferreira de Souza (PSD), reeleito na cidade. Horas antes da execução, o jornalista havia feito uma postagem comemorando a reeleição do prefeito, mas a Polícia Civil descarta que o crime tenha motivação política. A polícia está investigando o caso, mas até o momento não houve prisão .

A Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj), junto ao Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Mato Grosso, emitiu uma nota lamentado a morte do jornalista. “A Federação Nacional dos Jornalistas reafirma que essa violência nunca é contra o profissional individualmente, mas contra a liberdade de imprensa e o direito do cidadão e da cidadã à informação jornalística”, diz a nota.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *