Prefeitura lança o Agosto Lilás para combater a violência contra mulher em Conquista

O lançamento oficial da campanha acontecerá no dia 30 de julho, com a realização de webinário 21 de julho de 2021 Ariane Longa

Para comemorar os 15 anos do Centro de Referência da Mulher Albertina Vasconcelos (Crav) e da Lei Maria da Penha, a Secretaria de Desenvolvimento Social e a Delegacia Especial de Atendimento à Mulher de Vitória da Conquista lançou nesta quarta-feira (21/07) a campanha Agosto Lilás. Durante todo o mês de agosto, serão realizadas diversas ações presenciais e virtuais sobre o enfrentamento à violência contra a mulher.

O lançamento oficial da campanha acontecerá no dia 30 de julho, com a realização de webinário, que terá a participação da Secretária Nacional de Políticas para Mulheres, Cristiane Britto. Já no dia 2 de agosto, começará a circular o anúncio audiovisual que será veiculado em redes de   televisão, uma produção realizada em parceria com TV Sudoeste, Deam (Delegacia da Mulher) e Shopping Boulevard. Segundo a PMVC, durante todo o mês de agosto ações serão realizadas. 

A coordenadora de Políticas para Mulheres, Dayana Eveline Andrade, destacou o quanto o trabalho realizado pelo Crav e a Lei Maria da Penha tem sido importantes  no combate à violência contra a mulher. Já a delegada da Deam, Gabriela de Diego Garrido, enfatizou que campanhas como essas do Agosto Lilás podem ajudar a  libertar mulheres vítimas de violência. “Colocando o assunto em pauta, a gente estimula aquela pessoa que está sendo vítima de violência a denunciar, estimula um familiar que conhece alguém vítima de violência a denunciar”, disse a delegada. 

Segundo dados do Crav, em 2019, 299 novos casos de violência contra mulher foram registrados por vítimas que procuraram assistências, já em 2020, 208 casos. Apesar do aumento do número de casos nos canais de denúncia durante a pandemia, isso não refletiu nas estatísticas dos órgãos. Isso aconteceu devido ao fato que muitas mulheres se encontram em isolamento em suas casas, sendo reféns do seu agressor e impedidas de registrar a ocorrência na Delegacia ou pedir ajuda, o que pode ter causado a subnotificação dos casos. 

Para denunciar violência contra a mulher e violações de direitos humanos, existem os números 180 e 100, respectivamente. Os serviços funcionam 24 horas por dia, incluindo sábados, domingos e feriados, e qualquer pessoa pode fazer uma denúncia. A ouvidoria cadastra e encaminha os casos aos órgãos competentes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *