Representantes de instituições públicas repudiam publicação de bar conquistense

Comissão da Mulher Advogada da OAB de Vitória da Conquista prepara representação no Ministério Público contra o estabelecimento 8 de junho de 2018

Após denúncia do Avoador contra a publicação no Instagram do bar conquistense Cana Café, em que mulheres foram apresentadas em posição degradante, o estabelecimento deu uma resposta e representações do município se posicionaram sobre o assunto em diversas instâncias. A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) Subseção de Vitória da Conquista, a vereadora Viviane Sampaio (PT) e a Comissão da Mulher Advogada repudiaram o desrespeito às mulheres demonstrado pelo estabelecimento.

A primeira resposta depois da repercussão, dia 27 de maio, veio do representante do próprio bar na ferramenta Stories do seu perfil no Instagram, onde a publicação ficou disponível por apenas 24h. Nela, a resposta foi a seguinte: “O Cana Coff, na pessoa de seu proprietário, mostrando profissional altamente capacitado no ramo de entretenimento vem a público, retratar-se e pedir desculpas pelo erro e mal entendido” (sic). Mesmo assim as ações contra o Cana Café continuaram.

Print da publicação em que o bar pediu desculpas pela postagem.

No mesmo dia, a OAB Subseção de Vitória da Conquista emitiu uma nota expondo a necessidade de lutar contra atitudes machistas. “A sociedade não pode mais admitir esse tipo de atitude misógina, preconceituosa, que coisifica a mulher e a expõe como objeto sexual”, diz o texto publicado por meio da Comissão da Mulher Advogada. A nota dizia ainda que a comissão “atuará de maneira incisiva no combate a esta postura, para evitar que condutas como esta continuem propagando-se na sociedade”.

Durante a sessão ordinária da Câmara Municipal de Vitória da Conquista (CMVC) no dia 30 de maio, a vereadora Viviane Sampaio (PT) repudiou a atitude do bar conquistense. “Mulher não é objeto, não é comida para ser estocada”, disse Sampaio. A vereadora apontou que há altos índices de violência contra a mulher no Brasil, onde a cada 7 segundos é feita uma nova vítima de violência física no país. Ela também reafirmou a necessidade de que a população se una para acabar com o machismo que fere as mulheres todos os dias.

A presidente da Comissão da Mulher Advogada, Ingrid Lomanto, explicou ainda que a OAB, junto a outras entidades, está colhendo assinaturas das representantes da Rede de Proteção à Mulher de Conquista para fazer uma representação no Ministério Público (MP). O objetivo da ação é pedir o fechamento do estabelecimento comercial.

Para a jornalista Natália Rocha, é extramente importante falar sobre o assunto e desconstruir a objetificação do corpo feminino.  “Parece só uma piada, mas é esse tipo de comentário que sustenta uma estrutura em que as mulheres são estupradas, agredidas e mortas”, afirma Rocha.