Conquista é uma das cidades que aplicou doses vencidas da AstraZeneca vencida, segundo reportagem da Folha de S.Paulo

Na Bahia, 114 cidades receberam os lotes do imunizante vencido e aplicaram na população contra a covid-19 2 de julho de 2021 Estêvão Gamba e Sabine Righetti (Folha de S.Paulo)

Em reportagem publicada no jornal Folha de S.Paulo nesta sexta-feira (02/07), os repórteres Estêvão Gamba e Sabine Righetti denunciam a aplicação de 26 mil doses vencidas da vacina AstraZeneca em diversos postos de saúde do país. Os dados foram obtidos a partir de registros oficiais do Ministério da Saúde.

Até o dia 19 de junho, os imunizantes com o prazo de validade expirado haviam sido utilizados em 1.532 municípios brasileiros. Vitória da Conquista é uma das 114 cidades baianas que recebeu esses lotes vencidos. Na matéria jornalística, Conquista aparece com 76 doses aplicada do imunizante com o prazo de validade expirado e está em 46ª lugar entre as cidades onde o problema foi constatado

A campeã no uso de vacinas vencidas é Maringá, reduto eleitoral de Ricardo Barros (PP), líder do governo Bolsonaro na Câmara dos Deputados. A cidade paranaense vacinou 3.536 pessoas com o produto da AstraZeneca fora da validade (primeira dose em todos os casos). Depois aparecem Belém (PA), com 2.673, São Paulo (SP), com 996, Nilópolis (RJ), com 852, e Salvador (BA), com 824. As demais cidades aplicaram menos de 700 vacinas vencidas, sendo que a maioria não passou de dez doses.

Além disso, outras 114 mil doses da vacina AstraZeneca que foram distribuídas a estados e municípios dentro do prazo de validade já expiraram. Não está claro se foram descartadas ou se continuam sendo aplicadas.

As vacinas desses lotes foram distribuídas de janeiro a março pelo governo federal para todos os estados do país antes do vencimento. Elas somam quase 3,9 milhões de doses, das quais cerca de 140 mil não foram utilizadas dentro do prazo de validade. Dessas, até o dia 19 de junho, 26 mil tinham sido aplicadas já vencidas.

A maioria (70%) das doses aplicadas depois da validade é de um mesmo lote do Instituto Serum, identificado como “4120Z005”. O bloco venceu em 14 de abril, mas continuou sendo aplicado depois dessa data pelo país.

AstraZeneca é a vacina mais usada no Brasil. Ela responde por 57% das doses aplicadas neste ano. A imensa maioria foi utilizada de acordo com as orientações do fabricante. Todos os imunizantes expirados integram oito lotes da AstraZeneca importados ou adquiridos por consórcio. Um deles passou da validade no dia 29 de março. O que venceu há menos tempo estava válido até 4 de junho.

O lote pode ser conferido na carteira individual de vacinação. Quem tiver recebido uma dose de um desses oito lotes de AstraZeneca após a data de validade (veja gráfico) deve procurar uma unidade de saúde para orientações e acompanhamento.

Também por nota ao jornal Folha de S.Paulo, o Ministério da Saúde informou “que acompanha rigorosamente todos os prazos de validade das vacinas Covid-19 recebidas e distribuídas” e que “as doses entregues para as centrais estaduais devem ser imediatamente enviadas aos municípios pelas gestões estaduais. Cabe aos gestores locais do SUS o armazenamento correto, acompanhamento da validade dos frascos e aplicação das doses, seguindo à risca as orientações do Ministério.”

A validade das vacinas contra covid-19 depende da tecnologia e dos insumos utilizados no desenvolvimento do imunizante. Essas informações integram os dados analisados pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) para regulação dos imunizantes utilizados no país.

A AstraZeneca e a Pfizer duram até seis meses. A Janssen, com validade original definida em três meses, agora pode ficar armazenada por até quatro meses e meio. A Coronavac tem duração de um ano —o primeiro lote dessa vacina utilizado no Brasil venceria somente em novembro.

 Confira os dados gerais da reportagem da Folha de S.Paulo

 Lotes vencidos aplicados em Conquista

 

 

Repercussão da denúncia

Após a repercussão da matéria em nível local e estadual, a Prefeitura de Vitória da Conquista e o governo da Bahia se pronunciaram sobre o caso.

De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde (SMS), o lote de vacinas Astra Zeneca/Oxford de número 4120Z – 005, com vencimento em 14 de abril de 2021, foi recebido em Conquista no dia 24 de janeiro, e que foi utilizado antes do vencimento. Na nota, é informado ainda que a diretora municipal de Vigilância em Saúde, Ana Maria Ferraz, disse que está sendo “averiguado o porquê de o lote mencionado ainda constar no sistema”.

Mesmo dizendo que as vacinas foram aplicadas na validade, a SMS orienta que as pessoas confiram em seu cartão de vacinação o número do lote e a data em que foram vacinadas.

Também em comunicado à população e à imprensa a secretaria Estadual de Saúde disse que “não houve aplicação de doses de vacina contra covid-19 com data de validade vencida em Salvador e outros municípios, a exemplo de Juazeiro, como está sendo erroneamente divulgado”. A superintendente de Vigilância e Proteção da Saúde (Suvisa), Rívia Barros, disse que “os imunizantes foram aplicados no prazo de validade, mas a notificação, ou seja, o registo no sistema do Ministério da Saúde ocorreu depois da data de vencimento da vacina”. Outra possibilidade, segundo a Sesab, é que houve um erro de digitação no sistema do Ministério da Saúde.

Atualização realizada às 18h56 do dia 2 de julho de 2021.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *