Pesquisador da Fiocruz aponta um agravamento dos casos e mortes da covid-19 até agosto

Os meses de inverno são mais propícios para a circulação de vírus respiratórios 30 de abril de 2021 Gabriela Souza

Um dia depois do Brasil atingir o marco trágico de 400 mil mortes por covid-19, nesta sexta-feira (30/04), o  pesquisador e infectologista da Fiocruz, Julio Croda, alertou, em entrevista à CNN, que até agosto, esse cenário pode se agravar por conta da chegada do inverno e dos vírus respiratórios.

A gente vai viver ainda junho, julho e agosto complicados. Na época do inverno, os vírus circulam mais intensamente, principalmente no Sul e Sudeste, que são as regiões mais populosas”, disse.

Croda também falou sobre a vacinação no país e avalia que o Brasil começará a ter resultados no último trimestre de 2022. Para ele, é necessário que 70% a 80% da população esteja vacinada para atingir a imunidade de rebanho. O pesquisador afirma que o país ainda está muito longe da taxa esperada e que “em 2021 ainda teremos muito sofrimento”.

Fonte: CNN 

Foto: Fiocruz

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *