Tedros Adhanom diz que Brasil deveria levar a pandemia mais a sério

Declaração foi feita em Genebra durante uma entrevista 1 de dezembro de 2020 Felipe Ribeiro

Na última segunda-feira (30/11), o diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Tedros Adhanom Ghebreyesus chamou a atenção para a situação da pandemia no Brasil. “O país deveria levar isso muito, muito a sério.”

Em entrevista a jornalistas, o diretor considerou a situação do país como muito preocupante. “O Brasil teve seu ápice em julho. O número de casos estava diminuindo, mas em novembro os números voltaram a subir. O Brasil precisa levar [isso] muito, muito a sério. É muito, muito preocupante”, disse o diretor-geral.

Segundo dados desta terça-feira (01/11), o Brasil já possui 6.336.278 casos da covid-19, com 173.165 mortes causadas pela doença. O primeiro caso confirmado surgiu no estado de São Paulo e foi um homem de 61 anos que havia viajado para a Itália.

O presidente Jair Bolsonaro tem negado a mortalidade do vírus. Em um discursos realizados anteriormente,  ele considerou a doença como “gripezinha” e, desde então, manteve a postura, tem desacreditado a ciência e defendido  medicamentos sem eficácia comprovada contra a covid-19. Quando perguntado sobre a pandemia, já chegou a responder jornalistas com piadas, como quando disse “eu sou messias, mas não faço milagres”. Em uma live realizada na última quinta-feira (26/11), ele chegou a afirmar que não irá tomar a vacina quando uma estiver disponível. “Eu digo para vocês, eu não vou tomar, é um direito meu.”.

Foto de capa: Salvatore Di Nolfi/EFE

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *