Instituto Butantan dá início a produção da vacina CoronaVac

Até janeiro, o governo paulista estima ter produzido 40 milhões de doses 11 de dezembro de 2020 Gabriela Oliveira

O Instituto Butantan já começou a produzir a CoronaVac em parceria com a farmacêutica chinesa Sinovac. Até janeiro, serão produzidas 40 milhões de doses da vacina contra a covid-19, que ainda está em fase de testes. 

De acordo com o governador de São Paulo, João Doria, a produção da vacina, que foi iniciada na última quarta-feira (09/12), acontecerá de forma ininterrupta, 24h por dia, todos os dias da semana. A intenção é atingir a capacidade máxima de até um milhão de doses fabricadas por dia. 

Por meio da parceria do governo paulista com a farmacêutica chinesa, doses da vacina já estavam sendo enviadas para São Paulo. O acordo Brasil-China prevê ainda a transferência de tecnologia para o Instituto Butantan. A primeira e a segunda fase de testes da vacina que foram realizados com voluntários na China e no Brasil apontaram que a vacina é segura, e as reações colaterais não são graves.

O governo de São Paulo já recebeu da farmacêutica chinesa cerca de 120 mil doses prontas para uso da vacina e um milhão de doses que serão envasadas no Brasil, pelo Instituto Butantan. Como determinado no termo de compromisso assinado com a Sinovac, o Butantan vai receber 46 milhões de doses da CoronaVac, dessas, 6 milhões já chegarão prontas.

A vacina está passando pela terceira e última fase de testes para comprovar a sua eficácia. Esses testes vêm sendo desenvolvidos no Brasil desde junho deste ano, e tem a participação de 61 voluntários, que foram contaminados pela covid-19. A contaminação foi necessária porque metade dos voluntários recebeu placebo e, a outra metade, a vacina. Para a comprovação de que a vacina realmente é eficaz na imunização contra o vírus, é esperado que a maior parte dos infectados estejam entre as pessoas que receberam o placebo.

O resultado desse teste foi encaminhado para um comitê internacional independente, o governo paulista espera que ele seja divulgado ao público na próxima semana. Sendo positivo, o governo paulista deverá solicitar a aprovação e registro para uso em solo brasileiro junto à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Segundo o governador de São Paulo, João Doria, 11 estados e 912 municípios já se interessaram em adquirir doses da vacina.

Fonte: Agência Brasil

Foto: Reuters/Imago Imagens/Direitos reservados 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *