Maior estudo do Brasil conclui: hidroxicoloroquina é ineficaz no tratamento da covid-19

Divididos em três grupos, participaram dos testes pacientes com sintomas leves ou moderados, com idade em torno dos 50 anos 24 de julho de 2020 Karina Costa

Um estudo realizado com 665 pessoas em 55 hospitais brasileiros mostrou que a hidroxicloroquina não tem eficácia no combate à covid-19. A pesquisa foi coordenada por uma coalizão composta por hospitais como o Albert Einstein, o HCor e o Sírio-Libanês. Esse é o maior estudo brasileiro sobre a droga. Os resultados foram publicados no periódico New Engalnd Journal of Medicine.

Divididos em três grupos, participaram dos testes pacientes com sintomas leves ou moderados, com idade em torno dos 50 anos. 50% eram do sexo masculino, 40% tinham hipertensão e 21% eram diabéticos. Entre 29 de março e 02 de junho, os pesquisadores monitoraram 217 pessoas medicadas com hidroxicloroquina e azitromicina, 221 que receberam apenas a hidroxicloroquina e 227 que não utilizaram nenhum dos dois medicamentos.

Os pacientes dos dois grupos tratados com a hidroxicloroquina apresentaram alterações em exames de eletrocardiograma, o que representa maior risco de arritmias. Os testes também mostraram a possibilidade de lesões hepáticas, ou seja, aquelas que prejudicam o funcionamento do fígado. Além disso, não houve diferença no número de mortos entre as pessoas dos três grupos. Cerca de 3% morreram, de acordo com a Coalizão Covid-19.

O grupo de estudiosos está realizando mais oito pesquisas sobre possíveis tratamentos para a covid-19. Uma delas envolve testes da hidroxicloroquina em pacientes com sintomas mais graves.

Fonte: Jornal Nacional/Folha de S Paulo/O Globo

Foto de capa: Unsplash

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *