Policial militar baiano que atirou para o alto e contra o Bope morre em operação neste domingo

O caso ganhou dimensões partidárias a partir de declarações de políticos 29 de março de 2021 Érika Camargo

Um policial militar, Wesley Soares, foi baleado na noite de ontem (28/03) no Farol da Barra, em Salvador, após passar cerca de quatro horas gritando palavras de ordem e disparando tiros para cima. O governo da Bahia que o PM apresentava um quadro de surto psicótico.

 Soares, que era lotado no batalhão de polícia de Itacaré, 250 km ao sul de Salvador, foi baleado por volta das 18h30 após disparar contra uma equipe do Bope (Batalhão de Operações Policiais Especiais) que negociava sua rendição. O PM chegou a ser socorrido por uma ambulância e encaminhado para o Hospital Geral do Estado (HGE), em Salvador, mas não resistiu aos ferimentos e morreu na noite deste domingo.

O policial estava em serviço, mas deixou o batalhão e seguiu de carro à capital baiana. Soares estava fardado, armado com um fuzil e uma pistola e com o rosto pintado de verde e amarelo.

Um vídeo, gravado por testemunhas no Farol da Barra, mostra o PM deixando o próprio veículo armado, atirando para o alto e bradando palavras de ordem. Em um momento, ele grita “comunidade, venham testemunhar a honra ou a desonra do policial militar do estado da Bahia”.

A operação que tentou conter o soldado durou cerca de quatro horas, até as 18h30, quando ele atirou contra a tropa do Bope que conduzia a negociação, que revidou. Wesley Soares foi baleado, socorrido pelo Samu e levado ao HGE, onde morreu algumas horas depois.

Em nota, a Polícia Militar da Bahia disse que “lamenta profundamente o episódio que ocorreu neste domingo (28), no Farol da Barra, quando todos os esforços foram feitos por um final pacífico durante um possível surto de um PM”. Segundo o Comandante Geral da PM da Bahia, um inquérito militar foi instaurado a fim de apurar as circunstâncias da morte do soldado.

Durante a noite da operação, policiais atiraram para o alto em ameaça aos jornalistas que estavam próximos ao Farol da Barra cobrindo o caso. Nesta segunda-feira (29/03), o coronel Paulo Coutinho afirmou que lamentava o ocorrido.

 

Repercussão

O caso ganhou dimensões partidárias a partir de declarações de políticos. O deputado Estadual Soldado Prisco (PSC), em vídeo, reuniu colegas da PM  e convocou uma manifestação, que aconteceu na manhã desta segunda (29). A deputada Federal Bia Kicis (PSL), em publicação em suas redes sociais, chamou o soldado de “herói” e insinuou que decretos do governo baiano são “ilegais” e que não deveriam ser cumpridos.  Marcelo Freixo, deputado Federal pelo PSOL, acusou Kicis de incitar motins policiais contra a ordem democrática. 

Rui Costa, governador da Bahia, publicou em suas redes sociais um vídeo em que lamenta a morte do soldado Wesley Soares e presta reconhecimento aos policiais envolvidos na operação. “Quero lamentar profundamente o fato ocorrido neste domingo e ao mesmo tempo manifestar meus sentimentos à família do policial envolvido. Também quero estender minha solidariedade a todos os policiais que participaram da operação e colocaram suas vidas em risco”.

Wesley Soares foi enterrado na tarde de hoje em Itabuna, sua terra natal. O corpo foi levado à cidade, ao sul da Bahia, por um avião da Polícia Militar. A cerimônia foi rápida devido à pandemia de coronavírus e o PM recebeu homenagens dos colegas de profissão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *