Racismo gera reação de jogadores em partida da Champions League

A reação dos jogadores aconteceu por causa de uma ofensa racista do quarto árbitro romeno Sebastian Colţescu contra o membro da comissão técnica e ex-atacante camaronês Pierre Webó, do time turco 9 de dezembro de 2020 Raquel Rocha

O futebol presenciou, nesta terça-feira (08/12), um ato histórico contra o racismo nos campos. Dentre os times Istanbul Basaksehir e Paris Saint-Germain, pela UEFA Champions League, os 22 jogadores dos dois times deixaram os gramados do estádio Parque dos Príncipes, na França.

A reação dos jogadores aconteceu por causa de uma ofensa racista do quarto árbitro romeno Sebastian Colţescu contra o membro da comissão técnica e ex-atacante camaronês Pierre Webó, do time turco, que também foi expulso do jogo.

Durante o jogo, o lateral brasileiro do Basaksehir Rafael da Silva levou um cartão amarelo. Alguns jogadores reservas e membros da comissão técnica reclamaram da penalização, nesse momento, Sebastian ofendeu de forma racista o membro da comissão.

Aos 13 minutos do primeiro tempo, o jogador senegalês Demba Ba se indignou com a ofensa feita à Webó e reclamou diretamente com o quarto árbitro. Quando todos tentaram entender a situação, os jogadores dos dois times decidiram abandonar o campo.

O lateral Rafael, disse em áudio ao para o jornalista correspondente do Esporte Interativo, na França, que o quatro árbitro “o negro sai daí, vai embora”, para Webó. Após duas horas de suspensão do jogo, a UEFA confirmou que a partida seria cancelada e remarcada para a quarta-feira (08/12).

Antes dessa confirmação, a UEFA cogitou retornar a partida, um dos comentaristas do Esporte Interativo Mauro Beting disse, durante esse período, que não voltaria a comentar a partida caso retornasse.

O jogador brasileiro Neymar Junior, que também estava em campo pela equipe do PSG, manifestou indignação em suas redes sociais e usou a hashtag #BlackLivesMatter. O atacante brasileiro também foi vítima de racismo durante uma partida do campeonato francês, no dia 13 de setembro de 2020, contra o Racing Club Lens. Durante a partida, Neymar foi expulso após discutir e agredir com um tapa o zagueiro Álvaro González, que o chamou de “macaco”, em um ato racista.

Após a partida, o brasileiro fez um desabafo nas redes sociais: “Único arrependimento que tenho é por não ter dado na cara desse babaca”, escreveu. O jogador recebeu o apoio de outros jogadores brasileiros e colegas do PSG.

Foto: Getty Images

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *