Uesb aprova retomada das aulas de graduação de forma remota

16 de julho de 2020 Redação

As aulas dos 47 cursos de graduação na Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia em formato remoto devem voltar no mês de agosto. A decisão sobre a nova modalidade de ensino foi aprovada no dia 9 de julho pelo Conselho Superior de Ensino, Pesquisa e Extensão (Consepe) da instituição, tendo 68 votos favoráveis à volta do ensino não presencial, 16 contrários e 6 abstenções.

As atividades do ensino presencial da graduação foram suspensas no dia 19 de março e desde então o Consepe prorrogou por três a continuidade da ausência de aulas, abril, maio e junho. Nessa última reunião, também foi aprovada a retomada do calendário acadêmico de 2019.2, por 46 votos favoráveis, 18 contrários e 21 abstenções. Sendo assim, as disciplinas que estavam em andamento poderão ser retomadas, desde que os colegiados e departamentos assim decidam.

O reitor da Uesb, Luiz Otávio, em comunicado disse que reconhece as condições adversas que podem existir no retorno às aulas, mas reforça a necessidade de colaboração entre professores e alunos, departamentos, colegiados e entre os campi da Uesb e demais universidades baianas.

O Diretório Central dos Estudantes (DCE) da Uesb votou de forma contrária ao ensino remoto aprovado pelo Consepe. Segundo a entidade, não há garantias de que todos os discentes da universidade conseguirão acesso tecnológico para terem aulas de forma remota, via internet. “O DCE acredita que o tema requer rigor e atenção especial e defende que discussões acerca do assunto devem partir das bases: estudantes e plenárias, tendo os Centros Acadêmicos (C.As) e Diretório prazo para construção de planejamento. A representação estudantil ainda pontua que o sucateamento da educação é ação política que afeta a muitos”.

O Consepe ainda deliberou que os trabalhos sejam desenvolvidos em duas etapas. Na primeira, serão construídos, a partir de grupos de trabalho específicos, três instrumentos básicos para nortear as ações que viabilizem a retomada das aulas de forma remota. Um dos instrumentos é um plano emergencial de inclusão digital para os discentes da Uesb que não possuam condições de acesso à internet em suas residências e/ou equipamentos necessários para este acesso. O segundo instrumento será um plano de capacitação e familiarização dos docentes da Uesb a ambientes virtuais de aprendizagem e plataformas digitais aptas ao trabalho pedagógico não presencial. O terceiro instrumento será a construção de um regulamento próprio do ensino remoto, no âmbito da graduação, envolvendo definição quanto ao tratamento a ser dado a vários aspectos e consequências desta atividade. Esta primeira fase deve ser concluída em 20 a 30 dias.

A segunda parte refere-se a aplicação de todo o planejamento anterior. “Com a definição da data de retorno às atividades de ensino e com os planos concluídos de inclusão digital discente, de capacitação digital docente e de construção de regulamento específico para o ensino remoto, as iniciativas institucionais deverão se concentrar na efetiva implementação das ações decorrentes de tais planos”, explicou o reitor. Entre as ações previstas, estão editais para chamada de estudantes que declarem não possuir acesso à internet e/ou equipamentos tecnológicos necessários para acompanhamento das atividades pedagógicas não presenciais, aplicação de minicursos, oficinas, tutoriais de capacitação digital voltados para o corpo docente. De acordo com informações extra-oficiais, até final de agosto, as aulas da graduação, em formato remoto, já devem estar em andamento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *