Moradores das zonas Sul e Oeste de Conquista reclamam da demora na conclusão da Avenida Perimetral

Dos mais de 12 km planejados para a avenida, que começou a ser construída em 2015, apenas 2.200 metros foram entregues à população 18 de dezembro de 2019

No dia 14 de julho de 2018, a Prefeitura Municipal de Vitória da Conquista inaugurou o primeiro trecho da Avenida Perimetral J. Pedral que liga os bairros Boa Vista e Candeias, na zona Leste da cidade. Após mais de um ano da entrega de parte da obra, os moradores das zonas Sul e Oeste ainda aguardam a conclusão da via que pretende facilitar a locomoção entre as diferentes regiões do município e desafogar o trânsito no Centro.

Dos mais de 12 quilômetros planejados para a avenida, apenas 2.200 metros foram entregues à população. O administrador Marcos Vinícius cobra agilidade nas obras. Ele mora no loteamento Morada dos Pássaros e, quando a obra for concluída, a Perimetral irá passar na porta de sua sua casa.

“Essa é uma via de acesso importante. Ela leva da Olívia (Avenida Olívia Flores) até a Via Integração (BR-116). Vai desafogar o Centro da cidade e também diminuir a quantidade de poeira, de problemas respiratórios, tudo isso.”

Avenida Perimetral em Conquista

O primeiro trecho da Avenida Perimetral, que liga os bairros Boa Vista e Candeias, foi inaugurado em julho de 2018. Foto: Gabriel Pires

Marcos destacou também que, com a construção parada, lixos e entulhos são jogados em terrenos baldios próximos a sua casa, o que atrai ratos e animais peçonhentos, como serpentes, aranhas e escorpiões, para a vizinhança.

“Isso não é uma reclamação, é uma cobrança. Os recursos já foram investidos e a gente não vê nada sendo feito. O prazo de esperar já passou.  É preciso falar: Sr. Prefeito, tome uma providência! Sr. Secretário, tome uma providência! Aqui tá morando gente”, desabafou o administrador.

Avenida Perimetral em Conquista

“Isso não é uma reclamação, é uma cobrança. Os recursos já foram investidos e a gente não vê nada sendo feito.”, Marcos Vinícius, morador do loteamento Morada dos Pássaros. Foto: Gabriel Pires

O morador do Cidade Modelo, na zona Oeste, Luis Simões, também reclamou da demora para as obras chegarem até o seu bairro. “Eu estou decepcionado. Eles disseram que iam fazer a primeira etapa aqui e até agora estamos no meio da poeira. É um terror”.

perimetral

“Houve uma escolha política e não alicerçada por um fundamento técnico”, Cláudio Carvalho, professor de Direito Urbanístico da Uesb. Foto: Thaís Patez

Para o professor de Direito Urbanístico da Uesb (Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia), Cláudio Carvalho, as obras deveriam ter sido iniciadas primeiro nas áreas mais populosas da cidade, as zonas Sul e Oeste. Segundo ele, houve uma inversão dessa lógica, o que privilegiou vazios urbanos e contribuiu para a especulação imobiliária.

“Houve uma escolha política e não alicerçada por um fundamento técnico. O mais acertado era começar pelo trecho das avenidas Brumado e Lagoa da Bateias, seguindo o traçado original. Isso é uma escolha política em função de uma série de disputas que ocorrem na cidade e aí, nesse caso, a população perdeu para um outro ator social extremamente organizado que é o mercado imobiliário”, explicou Cláudio.

A construção da Perimetral é resultado de um convênio com o Governo Federal  junto à Caixa Econômica para um financiamento de R$ 60 milhões. Os funcionários da Emurc (Empresa Municipal de Urbanização) iniciaram as obras em março de 2015.

Atraso nas obras 

De acordo com o secretário de infraestrutura, José Antônio Vieira, o trecho que liga os bairros Boa Vista e Candeias foi priorizado por se tratar de uma pista que leva até a Uesb. “Nós elegemos como parte importante porque é uma ligação entre a Avenida Olívia Flores, o Vila América e o final do loteamento Boa Vista. É uma opção de trânsito pra quem dirige até a Uesb.”

O secretário explicou também que o atraso das obras no trecho da avenida que passa pelo loteamento Morada dos Pássaros, onde Marcos Vinícius mora, aconteceu por causa de um problema de aprovação com a Via Bahia, concessionária de rodovias do estado.“O cruzamento da Perimetral com a BR-116 com sinalização semafórica estava pré-aprovado junto à Via Bahia, mas ela não ratificou essa aprovação e impediu a instalação. Ficou praticamente impossível de fazer essa ligação.”

O trecho da Avenida Perimetral no loteamento Morada dos Pássaros ainda não foi concluído. Foto: Gabriel Pires

José Antônio disse ainda que um outro projeto teve que ser feito para dar continuidade a construção. “Tivemos que construir uma avenida de praticamente dois milhões de reais para poder duplicar aquela pista no trecho próximo ao viaduto. Tudo isso para dar continuidade e funcionalidade à Avenida Perimetral.”

Apesar da situação com a Via Bahia, o secretário de mobilidade urbana, Jackson Yoshiura, afirmou que as obras nesse trecho devem retornar em janeiro de 2020. “Eu espero que a gente dê início no trecho do Loteamento Morada dos Pássaros no próximo mês e que, em fevereiro, a gente conclua aquela obra ali. Até a BR-116, onde a gente vai ter uma boa estrutura”. Há ainda um planejamento para os próximos trechos da Avenida Perimetral. “No próximo mês, provavelmente,  vamos concluir até a Juracy Magalhães”, disse Jackson.

Sobre o início das obras em outras regiões da cidade, o secretário de infraestrutura, José Antônio Vieira, informou que ainda não há uma data definida porque se trata de uma construção muito extensa.

A equipe do Avoador entrou em contato com a Via Bahia, mas até o fechamento desta reportagem não obteve resposta.

Linhas de ônibus na Perimetral 

No dia 26 de novembro, o Plano Municipal de Transporte Urbano, que prevê uma reorganização e fiscalização dos sistema de trânsito e transporte público em Conquista, foi apresentado pela Secretaria de Mobilidade do município. De acordo com o secretário Jackson Yoshiura, linhas de ônibus que passam pela Avenida Perimetral poderão ser criadas caso haja demanda. “Quando a gente tiver uma avenida pronta, e conseguirmos compreender essa demanda real, que ligue direto um bairro ao outro, aí a gente pode criar novas linhas”.

O professor de Direito Urbanístico da Uesb, Cláudio Carvalho, acredita que já é possível estabelecer linhas de ônibus que liguem um bairro a outro, sem que seja necessário passar pelo Centro da cidade. “Com o crescimento de Conquista, novas centralidades foram surgindo, a partir das relações comerciais, como é o caso do Bairro Brasil e do Patagônia. Então, você pode ter uma linha Bairro Brasil-Shopping Conquista Sul direto. Temos que lembrar que o transporte é uma concessão pública. Não podemos trabalhar com a lógica da empresa, que é a do lucro.”

Foto de capa: Gabriel Pires

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *