Motorista da Prefeitura de Conquista transporta infectados por covid-19 sem os EPIs necessários

Em 7 de abril de 2020, a gestão municipal divulgou que havia 10 veículos especiais para transportar pessoas infectadas pela doença, mas, mesmo assim, motoristas de outras unidades são acionados para esse tipo de serviço sem a proteção exigida 1 de julho de 2020 Raquel Rocha

Um motorista da Secretaria de Desenvolvimento Social da Prefeitura de Vitória da Conquista transportou, nesta terça-feira (30/06), duas pessoas que testaram positivo para a covid-19 em um carro de uso diário do município. O funcionário não tinha os equipamentos de proteção adequados e ouviu de uma coordenadora que não precisava se preocupar porque “há estudos que dizem que assintomáticos não transmitem a doença”.

No dia 7 de abril de 2020, a Prefeitura publicou uma matéria sobre a plotagem especial de 10 veículos para serem utilizados no cumprimento das medidas de combate ao novo coronavírus. Mas, em entrevista ao Avoador, o servidor disse que recebeu uma ligação de um coordenador responsável pelos abrigos que acolhem pessoas em situação de rua. Foi então orientado a transportar os dois passageiros, que estavam no Abrigo Provisório 2, para o local de acolhimento três. Esse último recebe pacientes diagnosticados com a covid-19.

Ele disse ainda que recebeu apenas duas máscaras há dois meses e, para a realização desse transporte em específico, não recebeu um EPI (Equipamento de Proteção Individual). Foi testado para a covid-19 na terça-feira (23/06), e aguarda, no momento, a liberação da Prefeitura para fazer outro exame, já que são necessários esperar sete dias entre um teste e outro.

O funcionário que fez a denúncia ao Avoador pediu anonimato porque teme represálias. Por outro lado, sente também medo de ser obrigado a fazer outros serviços desse tipo e pegar a doença. A reportagem mandou mensagem à Secom (Secretaria de Comunicação) da Prefeitura para obter uma explicação sobre a denúncia, mas até a publicação desta notícia não houve resposta.

Quase um mês após a abertura do comércio não essencial, o município registra um crescimento do número de casos confirmados da covid-19 em 380%. Em 31 de maio, um dia antes da abertura do comércio, o Boletim Epidemiológico municipal divulgou que havia 152 casos de covid-19. Nesta quarta-feira (30/06), esse número chegou a 577 novos registros, totalizando 729 pessoas infectadas em Conquista.

Prefeitura de Conquista

Às 20h 38 do dia 1° de julho, a Prefeitura de Vitória da Conquista enviou uma nota ao site Avoador em resposta à matéria publicada no dia 30 de junho, na qual um servidor municipal que realiza serviço de transporte denunciava irregularidades no trasporte de pessoas infectadas com a covid-19.  Na resposta, a Secretaria de Desenvolvimento Social destacou que os usuários dos serviços voltadas à população em situação de rua foram testados e dois deles confirmaram positivo para a covid-19 e estavam em distanciamento social há mais de 16 dias. “Ainda que eles estivessem há mais de 16 dias em distanciamento social no Abrigo 3 e assintomáticos, como medida preventiva, eles foram transferidos para o Abrigo Provisório 2 para ficarem em isolamento individual”.

A nota diz ainda que os usuários e o motorista estavam equipados adequadamente para a realização do transporte. “Tanto usuários quanto motorista encontravam-se com o Equipamento de Proteção Individual adequado para aquela situação”. Além disso, também pontuou que os testes rápidos identificam os anticorpos no corpo, sendo assim, pode ocorrer de uma pessoa que testou positivo, apesar do contato com o vírus, já estar recuperada. Confira a resposta completa da Prefeitura no link abaixo.

Nota Site Avoador – Covid 19 – 01.07.2020

Foto de capa: Prefeitura de Vitória da Conquista

Uma resposta para “Motorista da Prefeitura de Conquista transporta infectados por covid-19 sem os EPIs necessários”

  1. Jose da Prefeitura disse:

    A prefeitura respondeu ao ministerio publico que os servidores estavam em teletrabalho, quem podia, porem é mentira. Muitos que poderiam estar trabalhando remotamente, estao sendo obrigados a trabalhar em salas lotadas, sem epi. Nem alcool tem. Falta sabao até no banheiro da prefeitura. Muitos poderiam estar contribuindo remotamente para ter menos pessoas nas ruas, porem isso nao acontece. É so ir no predio da prefeitura, e verá salas lotadas e sem ventilação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *