Daniel Melo: “O nosso principal projeto é manter essa universidade plural”

9 de abril de 2018

O candidato a reitor pela chapa “Alternativa Acadêmica: Em Defesa da Uesb”, Daniel de Melo Silva, vem com a proposta de trazer uma nova imagem para a reitoria: uma “alternativa apartidária”, nas palavras do candidato, em comparação às outras duas chapas que concorrem ao pleito. Natural de Vitória da Conquista, ele é formado em Farmácia pela Universidade de Tiradentes e tem mestrado e doutorado em Química e Biotecnologia pela Universidade Federal de Alagoas.

Daniel é professor da Uesb desde 2010, quando passou no concurso para docente da graduação em Farmácia, no campus de Jequié. Em oito anos na instituição, Daniel já coordenou a área de Farmácia e ocupou ainda os cargos de coordenador e vice-coordenador do Colegiado do curso. Quando coordenador, representou a graduação no Conselho Superior Universitário, que o escolheu para fazer parte da Câmara de Pesquisa e Pós-Graduação durante três anos. Atualmente, ele se dedica à sala de aula e à realização de pesquisa, tendo projetos aprovados pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado da Bahia (FAPESB).

Quanto à surpresa de sua candidatura na comunidade universitária, ele explica que, ao acompanhar o processo de inscrição, não ficou satisfeito e resolveu se apresentar como uma opção diferente. “A chapa foi inscrita de última hora porque não víamos alternativas. As únicas alternativas que víamos eram político-partidárias, e eu venho com um espírito novo para a universidade. O nosso principal projeto é manter essa Universidade plural”, enfatiza.

Para Daniel, que tem a mesma idade da Uesb, 37 anos, é preciso acreditar em um projeto de universidade em longo prazo. Ele já pensa no aniversário de 50 anos da instituição. “Eu acho que cada um de nós não vive apenas o presente. Acho que a Uesb precisa desses planos de curto, médio e de longo prazo”. Entre suas propostas estão a internacionalização da instituição, com aumento da realização de intercâmbios discentes e docentes e convênios com outras universidades. Também sugere o fortalecimento da pós-graduação e a equiparação dos índices de cada categoria de funcionamento da Uesb, garantindo que a avaliação de cada uma delas seja a mesma, ao contrário da disparidade que ele afirma perceber hoje em dia. Daniel esclarece que a sua gestão será construída pela comunidade uesbiana: “Gerir é ouvir”, enfatiza.

A chapa “Alternativa Acadêmica: em defesa da Uesb” também conta com a professora Cristina Silva dos Santos, do Departamento de Ciências Humanas, Educação e Linguagens, do campus de Itapetinga, candidata à vice-reitoria. Ambos os candidatos, então, não pertencem ao campus de Vitória da Conquista, considerado sede da universidade. Mas Daniel não vê problema nessa questão. “No contexto da Uesb, vejo muita segregação. E eu sou um candidato que transita em todos os espaços sem problema algum e acho que é isso que está faltando na nossa universidade”, afirma o candidato.

Caricatura: Gil Brito.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *