Gordofobia e sexualidade das mulheres

26 de outubro de 2020 Maira Garrido e Desenhos do Nando

Acredito que rejeição seja um sentimento conhecido por todes. É algo que é muito fácil de empatizar e talvez por isso eu tenha escolhido esse tema pro desenho do mês. Quero que você largue tudo agora e se coloque no lugar de uma das duas figuras femininas da charge. Vemos duas pessoas inteiras, adultas, donas de suas escolhas, que viveram até aqui acreditando que deveriam alinhar sua aparência em geral com o que dará mais prazer pro homem (cis) da foto. É uma coisa muito dura de se dizer, mas vivemos e somos criades pra satisfazer o ego do homem hétero cis branco e, muitas vezes, quando não nos enquadramos dentro dessa expectativa IRREAL, nos submetemos a relações abusivas (em relações amorosas, no trabalho, na família).

A sexualidade da mulher gorda é algo pouco debatido, porque é quase como se fosse um ato de coragem ter um corpo não padrão e querer ainda assim sentir prazer. Pois eu lhes digo que num contexto onde uma mulher (independente do biotipo) que se permite sentir prazer é tida como transgressora, uma mulher GORDA que sabe e quer ter prazer é uma revolucionária.

Mas, voltando ao tema “rejeição” e ao quadrinho (e peço a sua atenção acima de tudo para o fato de que o corpo de uma mulher não é um troféu como algo a ser conquistado e exibido pra acariciar o ego do seu portador), quero que você pessoa gorda entenda e internalize a partir desse momento que não importa quantas vezes ele volte, se ele não te assume pro mundo, se ele tem vergonha de você, se ele te diminui em qualquer aspecto, ele está te objetificando.
Você não precisa ter vergonha da sua aparência e também não precisa se privar de sentir prazer, e acima de qualquer coisa, não deve aceitar afeto-esmola-turista que só levanta a moral do seu abusador.

Desenhos: Maira Garrido @mairagarridoo e Desenhos do Nando @desenhosdonando

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *