Profissionais da saúde brasileiros são os que mais morrem da covid-19 no mundo

Falta de equipamentos adequados é uma das razões dessa tragédia recorde, e as profissionais do sexo feminino são as mais afetadas 29 de julho de 2020 Felipe Ribeiro

O Conselho Federal de Enfermagem (Cofen) denuncia que a letalidade em mortes de profissionais da saúde por covid-19 no Brasil é uma das mais altas no mundo, é de 2,05%. Desde março, em média, duas pessoas morreram por dia e totalizam 318 vidas perdidas de trabalhadores.

O estado de São Paulo é o que possui o mais alto índice, com 53 mortes, e o Rio de Janeiro, em segundo lugar com 45 vidas perdidas. A Bahia tem 11 mortes.

A falta de Equipamentos de Proteção Individual (EPI’s) ou a disponibilidade de materiais de segurança inadequados são alguns motivos para essa realidade alarmante.

Outra razão é a falta de treinamento dos profissionais para lidarem com a pandemia. O processo de intubação de um paciente, por exemplo, é um grande risco pois, libera bastante carga viral e com equipamentos que não oferecem a proteção necessária, tornando-se mais fácil a contaminação pelo novo coronavírus.

Os profissionais ainda tiveram que lidar com apoiadores do presidente Jair Bolsonaro que, incentivados por ele, invadiram hospitais a fim de verificar e até mesmo filmar se os leitos estavam realmente sendo ocupados.

Ao todo, o Observatório de Enfermagem, uma plataforma lançada pelo Cofen, informa que o total de casos reportados, até o momento é de 30.267. A região Sudeste é a mais afetada, com 11.099 casos (36,67%). Logo atrás, está o Nordeste tendo 9.806 casos, sendo 32,4%. O público feminino é o mais afetado neste cenário, sendo 85,07% dos casos registrados e 63,84% dos óbitos.

Foto de capa: Silvio Avila/AFP

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *