Pretos e pardos representam 57% dos mortos pela covid-19

A doença causada pelo novo coronavírus não é democrática e os seus efeitos são determinados por renda, idade, gênero e raça 23 de junho de 2020 Raquel Rocha

Os pretos e pardos representam 57% dos mortos pela covid-19, enquanto os brancos são 41% desse grupo. A cada 10 pessoas brancas que morrem da doença no Brasil, 14 são pretos e pardos. Os dados foram divulgados pela CNN Brasil, em 5 de junho, com base nos boletins epidemiológicos do Ministério da Saúde.

A doença causada pelo novo coronavírus não é democrática e os seus efeitos são determinados por renda, idade, gênero e raça. A população negra também é um grupo de risco. O racismo estrutural e os fatores sociais como a falta de saneamento básico deixam os negros e negras mais vulneráveis, o que se intensifica durante a pandemia.

O professor e pesquisador da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), Deivison Faustino, destacou, em entrevista à Abrasco, a dificuldade de permanecer em isolamento social para a população pobre que é, em sua maioria, composta por negros e negras.“Somos a maioria entre as pessoas que continuam pegando trem ou ônibus lotado para poder ir trabalhar. A pergunta que fica é: como fazer a quarentena nessas condições? É urgente que as autoridades sanitárias e as autoridades políticas em geral desenvolvam estratégia de contenção da Covid-19 nesses grupos, ou a gente vai presenciar uma carnificina sem precedentes”, apontou.

A sobrecarga que a pandemia pode causar no Sistema Único de Saúde (SUS) irá deixar ainda mais evidente a estrutura racista que está presente no atendimento de saúde, já que 80% dos usuários do SUS se autodeclaram negros, como apontam os estudos e estatísticas oficiais do Ministério da Saúde.

Até a ausência de dados sobre a covid-19 por raça mostra o descaso com as vidas negras brasileiras. Segundo levantamento do consórcio de veículos de imprensa que inclui G1, Folha de S. Paulo, Uol e mais três meios de comunicação, apenas oito estados têm os dados sobre raça disponíveis.

Levando em conta a necessidade de pensar ações emergenciais que possam influenciar políticas ao longo prazo, a Colisão Negra por Direito emitiu uma nota que reivindica a adoção de medidas urgentes para proteger a população negra e demais afetadas em situação de vulnerabilidade diante do coronavírus.

Fonte: CNN Brasil/Abrasco

Foto de capa: Pixabay

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *