São João é cancelado na Bahia por causa da pandemia de covid-19

A medida tomada pelo governador Rui Costa tem como finalidade evitar a disseminação do novo coronavírus pelas cidades do interior do estado 30 de abril de 2020 Leila Costa

Em coletiva em seu perfil oficial no Facebook, nesta terça-feira (28/04), o governador, Rui Costa (PT), anunciou a decisão de cancelar os festejos juninos da Bahia.

A medida faz parte das ações de enfrentamento à disseminação do da covid-19 no estado. De acordo com o executivo estadual, o fluxo de pessoas aumenta durante o período junino, o que contribuiria para a circulação do coronavírus, principalmente em cidades onde ainda não há casos confirmados da doença.

Em dados do último Boletim Epidemiológico da Secretaria de Saúde, desta quarta-feira (29/04), 130 municípios da Bahia possuem casos confirmados da doença, sendo 2.676 casos confirmados do coronavírus e 93 mortes.

Algumas cidades da Bahia já tinham cancelado o São João, mesmo antes da decisão do governador. Em Vitória da Conquista, que possui 31 casos confirmados de covid-19 e três óbitos, a Prefeitura cancelou os festejos do Arraiá da Conquista, tradicional festa da cidade. Cidades como Macaúbas, Amargosa, Cruz das Almas e Santo Antônio de Jesus, também já haviam cancelado as comemorações juninas.

Festa popular

O São João é uma das festas mais populares da região Nordeste do Brasil. O estudante de Agronomia, Silas Moreira, de Vitória da Conquista, destacou a importância do festejo. “É um traço cultural que está arraigado na nossa cultura, é parte de como a gente se entende como ser nordestino”. Para ele, não será fácil impedir as comemorações da data.  “O máximo que o governo pode fazer é oficialmente proibir os grandes eventos, as praças lotadas. Agora, manifestações menores nas ruas eu acredito ser uma coisa impossível de inibir e um exagero em cidades pequenas onde não registro de casos (da doença)”.

Para o músico Daniel Bastos, que mora em Macaúbas, cidade sem registros oficiais da covid-19, o sentimento é de tristeza pela tradição, mas reconhece a necessidade das medidas para combater a disseminação do coronavírus. “É a maior festa cultural do Nordeste, de ponta a ponta, e é a época que os músicos daqui mais trabalham, principalmente nós, os sanfoneiros. Por outro lado, tenho consciência do quão difícil é o momento que enfrentamos.”

Músico Daniel Bastos em apresentação
Foto: Arquivo pessoal

Na cidade de Ibicuí, o São João que aconteceria de 19 a 24 de junho foi cancelado também por conta da pandemia. Moradora da região, a pedagoga Márcia Meira considera a decisão do governador “sensata”, sendo “mais uma medida contra a propagação do novo coronavírus que vem alcançando números significativos em nossa região”. Ibicuí não possui casos confirmados de covid-19, contudo, está localizada próxima a Ilhéus, cidade em segundo lugar na Bahia no número de casos de coronavírus, 193 registrado oficialmente neste último Boletim Epidemiológico divulgado em 29 abril.

A estudante Yandara Sales, moradora de Itapetinga, cidade com cinco casos confirmados da doença e dois óbitos, também está de acordo com a medida do governador. Para ela, o cancelamento dos festejos na Bahia é crucial para evitar a propagação do vírus entre as cidades. “Sabemos do costume de viajar para outras cidades durante as comemorações, visitar familiares, e tudo isso pode servir como rota de disseminação do vírus. E o que é o pior: levar a infecção para esses locais que estão livres de casos.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *