Ilhéus e Itabuna têm o maior número de casos da covid-19 do interior da Bahia

As duas cidades juntas somam 357 casos do novo coronavírus, e quase 80% dos infectados da doença em Ilhéus são profissionais da área da saúde 30 de abril de 2020 Carolina Souza, Larissa Costa e Karina Costa de Andrade

Nesta quarta-feira (29/04), a Bahia registrou 2.676 casos confirmados do novo coronavírus e 100 mortes, segundo dados da Secretaria de Saúde do estado (Sesab). Ilhéus e Itabuna, municípios do sul baiano, tornaram-se um dos principais focos da doença na região Sul com 193 e 164 casos, respectivamente, ocupando o segundo e o terceiro lugar na lista de cidades com maior número de doentes no estado.

Entre os infectados na cidade de Ilhéus, quase 80% são profissionais da saúde, sendo 57 funcionários do Hospital Regional Costa do Cacau, que possui 30 leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

Quase 80% dos infectados em Ilhéus são profissionais da saúde, sendo 57 funcionários do Hospital Regional Costa do Cacau. Foto: Secom/Ilhéus

O Secretário de Saúde, Fábio Vilas Boas, disse em entrevista à TV Santa Cruz, nesta terça-feira (28/04), que, por conta do crescimento acelerado do número de pessoas infectadas no Sul da Bahia, 41 novos leitos de UTI serão instalados para reforçar o atendimento.

As Prefeituras Municipais de Ilhéus e Itabuna têm adotado medidas de enfrentamento à pandemia, como o uso obrigatório de máscaras e o fechamento do comércio por tempo indeterminado.

Filas e aglomerações

Assim como em Salvador e outras cidades baianas, muitas pessoas não têm cumprido o isolamento social por causa das filas que precisam enfrentar para receber o auxílio de R$ 600,00 liberado pelo governo federal. Em Ilhéus, o taxista Adimilson Ribeiro tem observado aglomerações nas filas dos bancos, no Centro da cidade, e que essa situação é ainda pior nos bairros periféricos onde a fiscalização é reduzida.

Morador de Itabuna, o auditor fiscal agropecuário aposentado, Péricles Braga de Andrade, relatou que esse é um dos principais motivos pelos quais as pessoas estão nas ruas da cidade. “Temos presenciado aglomerações de pessoas devido, principalmente, a tentativa de recebimento do Auxílio Emergencial que, com certeza, é insuficiente para suprir as necessidades do trabalhador brasileiro”, disse.

A pedagoga e moradora do bairro Pontalzinho, Betania Costa de Jesus, também notou as longas filas nas agências da Caixa Econômica Federal em Itabuna. “Essas pessoas, infelizmente, ficam expostas ao coronavírus porque precisam desse dinheiro para sobreviver”, comentou. A estudante ilheense de Engenharia Ambiental, Marina Araújo, relata a mesma situação. “Fico indignada ao ver essas aglomerações nas ruas, mas as pessoas estão ali porque precisam garantir o seu sustento.”

As aglomerações nos supermercados e a abertura de comércios não essenciais também são um perigo para a população durante a pandemia da covid-19, já que muitos não respeitam o distanciamento recomendado pelos órgãos de saúde. “Muitas pessoas não estão levando a sério o isolamento social, e ainda tem empresas que permanecem funcionando normalmente”, contou o estudante de Engenharia Eletrônica, Pedro Amorim, morador de Itabuna.

O distanciamento social 

No bairro São Caetano, em Itabuna, a estudante de Administração, Jéssica Santana do Amparo, observou a falta de preocupação dos moradores com a rápida disseminação da doença no município. “Eu vejo pessoas sem máscaras, não respeitando o distanciamento social, se confraternizando nas portas de suas casas, enquanto muitos de nós estamos isolados na tentativa de desacelerar o crescimento descontrolado dos casos.”

Yasmine França é natural de Itabuna, mas, há mais de três anos, mora em Brasília onde estuda Ciências Políticas. Ela decidiu retornar para sua cidade natal e passar o período de isolamento social junto da família na Bahia. “Passei por cerca de três barreiras sanitárias antes de conseguir chegar em casa, por isso, acreditei que a situação aqui estaria bem melhor.”

Em Itabuna, o Centro de Triagem de pacientes com suspeita de covid-19 foi instaurado na Unidade de Pronto Atendimento 24h, localizada no bairro Monte Cristo. Foto: Secom/Itabuna

A estudante relatou ainda que no bairro Nova Itabuna, onde mora, muitas pessoas demoraram para entender a gravidade da covid-19 e só começaram a se prevenir com os decretos e o crescimento dos casos no município. “Eu vivo em um bairro periférico. Por estarem mais afastadas do Centro e, consequentemente, da vigilância, as pessoas não consideram importante usar máscara e evitar aglomerações nos mercadinhos, nos barzinhos e até mesmo nas reuniões familiares”.

Atendimento especializado

A Prefeitura de Ilhéus, em parceria com o Governo do Estado, inaugurou, na segunda-feira (27/04), a Unidade de Atendimento Covid-19, no Centro de Convenções da cidade. O espaço funcionará como um centro de triagem para pacientes com suspeita da covid-19. Em 22 leitos, pacientes com casos leves serão tratados e os pacientes mais graves encaminhados para os hospitais de referência no tratamento da doença que possuírem leitos de UTI disponíveis.

Em Itabuna, o Centro de Triagem de pacientes com suspeita de covid-19 foi instaurado na Unidade de Pronto Atendimento 24h, localizada no bairro Monte Cristo. A instalação conta com 13 leitos, sendo 10 clínicos e 3 de UTI.

Fotos da Capa: Prefeituras de Itabuna e de Ilhéus

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *