Ilhéus é a segunda cidade baiana com mais casos da covid-19

Médico ilheense que morreu após uso da combinação de hidroxicloroquina e azitromicina foi a 46ª morte confirmada pela doença na Bahia 21 de abril de 2020 Larissa Araújo Costa Souza

A cidade de Ilhéus, oitava mais populosa da Bahia, localizada na região Sul do estado, chegou a marca de 92 casos confirmados da covid-19, nesta terça-feira (21/04), ocupando assim o posto de segundo município baiano com mais doentes da pandemia. O primeiro lugar em casos é de Salvador com 922 pessoas infectadas.

Uma das explicações para o número alto de casos é o não cumprimento do isolamento social. Por conta disso, o prefeito de Ilhéus, Mário Alexandre, solicitou ao secretário Estadual de Saúde, Fábio Vilas-Boas, o apoio da Polícia Militar para que a população cumpra o decreto de fechamento do comércio publicado em 22 de março, já que a Guarda Municipal não tem obtido êxito nessa tarefa.

O decreto, como medida de enfrentamento à pandemia, entrou em vigor em 23 de março. Por meio dele foram suspensas as atividades de bares, restaurantes (exceto os serviços de entrega), casas noturnas, igrejas e templos. Foram proibidos também eventos e reuniões com mais de 50 pessoas. As instituições financeiras foram liberadas para funcionar até às 15h, e os estabelecimentos comerciais de serviços essenciais, como farmácias, supermercados e postos de combustíveis podem permanecer abertos no horário comercial.

Nesta segunda-feira, 20 de abril, a Prefeitura prorrogou por mais oito dias a suspensão do comércio e da circulação dos ônibus do transporte coletivo na cidade. As aulas da rede municipal também foram suspensas por mais 15 dias e os supermercados foram obrigados a controlar o número de clientes dentro dos estabelecimentos.

No entanto, nas ruas, os bancos apresentam longas filas e aglomeração. A Caixa Econômica Federal, que efetuou o pagamento do Auxílio Emergencial, é um exemplo do não cumprimento da orientação da Organização Mundial da Saúde (OMS) de distanciamento social.

Segundo os próprios moradores, muitos não estão ficando em casa. De acordo com o policial da Polícia Penal, Antonio Jorge, as pessoas estão saindo às ruas para realizar atividades não essenciais, como jogar futebol na praia. Ele disse ainda que, nos bairros periféricos, o comércio não essencial continua a funcionar normalmente.

Já a técnica de Análises Clínicas, Maria Silva, observou que os supermercados estão lotados nos últimos dias. Um dos motivos é o pagamento do vale alimentação do governo estadual para os estudantes da rede de ensino público. O problema é que nesses locais as pessoas não praticam o distanciamento de dois metros necessários para evitar um possível contágio.

Além disso, como o transporte coletivo público foi suspenso, houve um aumento do número de veículos que realizam transporte clandestino na cidade, causando aglomeração nas paradas. Essa situação levou a Prefeitura a criar um Disk Denúncias, via Whatsapp e e-mail, que funciona das 8h às 23h. Por meio desse canal, a população pode denunciar eventos e estabelecimentos que estejam descumprindo as medidas preventivas.

Médico morre ao usar a hidroxicloroquina

Nesta terça-feira, 21, o médico Gilmar Calazans Lima, 55 anos, diagnosticado com covid-19 após apresentar os primeiros sintomas da doença em 11 de abril, morreu no Hospital Regional da Costa do Cacau, em Ilhéus. Segundo o  Secretário Estadual de Saúde, Fábio Vilas-Boas, ele estava há 4 dias fazendo tratamento em casa com uma combinação de hidroxicloroquina e azitromicina.

Calazans era hipertenso e diabético e sofreu uma parada cardiorrespiratória por conta dos medicamentos. O Secretário de Saúde alertou sobre o uso da substância e disse que o paciente deve realizar uma avaliação cardiológica antes de fazer uso da hidroxicloroquina, pois pode levar a arritmias cardíacas graves.

O uso da hidroxicloroquina e azitromicina, mediante prescrição médica, foi autorizado pelo governo do estado para o tratamento de pacientes internados com diagnóstico positivo para a covid-19. No dia 8 de abril, o Secretário de Saúde da Bahia anunciou a medida para pessoas hospitalizadas no Sistema Único de Saúde (SUS).

Foto de capa: Secom/Ilhéus

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *