Hospital Esaú Matos está com 29 contas de energia atrasadas

Fundação Pública de Saúde de Vitória da Conquista, que administra o hospital, disse que contestou os valores junto a Coelba e aguarda o deferimento do pedido para quitação das contas 24 de novembro de 2020 Hellen Oliveira

 

Desde agosto de 2018, as contas de Energia Elétrica do Hospital Municipal Esaú Matos estão sem ser pagas e o serviço pode ser suspenso a qualquer momento. A denúncia foi publicada no site Sudoeste Digital do jornalista Celino Souza.

Além de prestar serviços públicos de saúde, o hospital Esaú Matos atende dez leitos intensivos e 24 leitos semi- intensivos na UTI Neonatal. O saldo devedor, cuja última conta de quitação, nesta quarta-feira (25/11), é de R$1.188.744,91. O hospital é administrado pela Fundação Pública de Saúde de Vitória da Conquista que já apresentou problemas com contas públicas. 

A Fundação foi instituída pelo poder executivo do município de Conquista em 2012, na gestão de Guilherme Menezes. É uma entidade sem fins lucrativos de interesse e utilidade pública, que integra a administração Pública indireta do município e a Secretaria Municipal de Saúde. O objetivo da Fundação é desenvolver todas as ações de saúde atribuídos ao Hospital Municipal Esaú Matos e ao Laboratório Central Municipal.

De acordo com o site Sudoeste Digital, a entidade teve as contas reprovadas em 2019 referente à atuação em 2018 e o Conselho Municipal de Saúde de Vitória da Conquista identificou que, dentre os motivos da reprovação estava o pagamento de elevados salários e atrelamento das contas da Clínica de Fisioterapia.

Em nota, a Fundação afirmou que não há risco de interrupção do abastecimento de energia elétrica de nenhum dos setores que administra. Também informou e que contestou o valor cobrado junto à Coelba, já que os valores das faturas incluíam tarifas e impostos que não são cobrados de órgãos que compõem a administração pública.

“Os recursos públicos administrados pela Fundação de Saúde são destinados principalmente ao custeio de mão-de-obra de médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem, atendentes, encarregados e seguranças, além da aquisição de medicamentos, materiais de procedimentos, equipamentos e manutenção da UTI Neonatal. Assim, por fazer jus à imunidade de tributos incidentes sobra a conta de energia, a FSVC aguarda o deferimento do pedido para quitação das contas”, explica a nota da FSVC.

Foto: Blog Resenha Geral

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *