11 de setembro de 2018

Informação sobre saque do PIS compartilhada no Whastapp é falsa

Mensagem supostamente veiculada pela Caixa Econômica Federal circula pelo aplicativo com o objetivo de enganar usuários da rede e roubar seus dados

“Caixa Econômica libera o PIS salarial pra quem trabalhou entre 2005 à 2018 no valor de R$ 1.223,20”. Essa mensagem tem circulado pelo Whastapp seguida de um link que supostamente direcionaria o usuário da rede a uma lista de contemplados pelo programa. Um leitor do Avoador desconfiou da informação e sugeriu à equipe do Xereta que fizesse uma checagem. Para esclarecer a dúvida, buscamos a Caixa Econômica Federal, em Vitória da Conquista, e um especialista na área da Computação.

Print da mensagem sobre o saque do PIS no Whatsapp. Reprodução: WhatsApp.

A primeira fonte buscada foi a agência da Caixa no Centro da cidade. No local, conversamos com o gerente da unidade, Juarez Feitosa Fonseca, que nos encaminhou à Superintendência do banco. Lá, a pessoa indicada para prestar esclarecimentos sobre a mensagem foi a assistente sênior, Márcia Tigre. Ela contou à nossa equipe que os únicos links confiáveis para consulta sobre o saque do PIS são os disponibilizados no site oficial da Caixa Econômica Federal.

Não faz parte da política do banco compartilhar esse tipo de informação pelas redes sociais, especialmente pelo Whatsapp. “O banco atua na prevenção de eventuais fraudes e realiza monitoramento online das operações que envolvem o pagamento de benefícios”, acrescentou. Veja abaixo, os prints dos e-mails enviados por Márcia, bem como o áudio encaminhado por ela pelo WhatsApp.

A mensagem compartilhada no Whatsapp sobre o PIS possui também duas características que chamam atenção e servem de alerta.  Em primeiro lugar, os erros ortográficos na construção textual demonstram falta de cuidado, o que não corresponderia a uma mensagem oficial de uma empresa pública como a Caixa Econômica Federal. Onde se lê “entre 2005 à 2018” há uma crase que não se aplica nesse local, pois em casos onde não há o artigo antes do primeiro numeral, não se deve utilizar essa acentuação. Outro erro é de pontuação, onde se lê “no valor de R$ 1.223,20, Confira” deveria haver um ponto final.

Print recortado dos erros ortográficos da mensagem. Reprodução: WhatsApp.

Em segundo lugar, o link reduzido empregado para levar à informação tem um formato diferente do padrão normalmente usado em sites confiáveis (.gov, .com, .br, .co, .uk etc). De acordo com o professor do curso de Ciência da Computação da Uesb, Gil Novaes, os links encurtados podem esconder um site malicioso que contém um vírus capaz de roubar os dados do usuário. Ele fez um teste utilizando o link da mensagem compartilhada que “retornou com o status de muito arriscado”. O mais indicado nesses casos, explica Novaes, é “usar ferramentas gratuitas da web como o Site Advisor” para identificar e evitar esses sites maliciosos.

Foto da avaliação do link enviada pelo professor Gil Novaes.

A informação sobre o PIS compartilhada pelo Whatsapp recebeu, portanto, o selo de FALSO. A assessoria da Caixa Econômica Federal negou o envolvimento da empresa na divulgação dessa mensagem, não havendo nenhum saque do benefício disponível nesse valor. E o link também não é verídico, já que se trata apenas de um vírus que busca adquirir os dados dos usuários da rede.

Ilustração da capa: www.eutenhodireito.com.br