Mulheres cientistas de Itapetinga realizam pesquisa sobre a covid-19

O estudo propõe um modelo de padronização de um método molecular simplificado que possa detectar a covid-19 e um questionário a fim de traçar um perfil epidemiológico da doença 17 de junho de 2020 Leila Costa

As professoras e pesquisadoras Camila Brandão, Érika Mac Conell e Evelin dos Santos do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Baiano (IF Baiano), de Itapetinga, desenvolvem um estudo sobre fatores relacionados à covid-19.

O trabalho é dividido em duas propostas e consiste em uma de testagem sorológica, realizada de forma aleatória, em habitantes do município, e aplicada juntamente com um questionário a fim de traçar um perfil epidemiológico da covid-19 na população.

As cientistas também propõem um modelo de padronização de um método molecular simplificado que possa detectar o vírus da covid-19, que é um método alternativo ao modelo já utilizado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

De acordo com Camila. “o projeto é fundamentado em teorias estatísticas, com 95% de confiança, e busca analisar a sorologia de 400 habitantes, através de testes sanguíneos realizados por meio de kit sorológico comercial, aprovados pela Anvisa, com o qual será possível detectar anticorpos anticoronavírus (IgG e IgM) em apenas uma gota de sangue. Questionários serão aplicados contendo informações socioeconômicas, de sintomatologia apresentada até o momento da coleta e acerca da percepção da covid-19 pelos participantes. Os cálculos de amostragem realizados nos darão argumentos para estabelecer características gerais de toda a população”.

O estudo também busca identificar casos de subnotificações e fazer o levantamento de informações importantes, que podem guiar ações e políticas públicas em toda a região, com o cruzamento das informações técnicas de saúde com dados demográficos e sociais.

Érika diz que a outra proposta do trabalho é testar um método molecular para detectar o coronavírus em amostras de pacientes, sintomáticos ou não sintomáticos e assim poder comparar sua eficiência com os métodos de padrão. “O método que será utilizado, chamado RT-PCR LAMP (amplificação isotérmica mediada por alça), por exemplo, tem a vantagem de ser bem mais rápido e de menor custo que a PCR em tempo real, e já tem sido aplicado no Brasil para detecção de outros vírus, tais como o da Zika”, explicou.

O estudo conta com o apoio do Conif, da Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica (Setec), do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Baiano (IF Baiano), do Laboratório de Virologia (ICS-Ufba), da Prefeitura de Itapetinga e de outros servidores do IF Baiano que auxiliam nas análise das estatísticas e execução do projeto.

O projeto passa agora por cotações para a reforma do espaço, compras de equipamentos e reagentes utilizados durante a pesquisa, e também a busca bibliográfica e discussões entre membros da equipe para acertar detalhes da execução do trabalho.

Fonte: Secretaria de Ciências, Tecnologia e Inovação

Foto de capa: Pixabay

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *