Bahia irá receber 300 mil doses das vacinas Sputnik e Covaxin, aprovadas pela Anvisa na última sexta (04)

Aprovação é de que sejam entregues doses ao equivalente a 1% da população de cada estado parte do Consórcio do Nordeste 5 de junho de 2021 Sara Dutra

Na última sexta-feira (04/06), após a 9° reunião extraordinária pública da Diretoria Colegiada, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) liberou parte da importação das vacinas Sputnik e Covaxin sob condições controladas.

A vacina Sputnik V poderá ser importada pelo Brasil em quantidades específicas, com distribuição e uso em condições determinadas pela Anvisa. São elas: importação somente de vacinas das fábricas inspecionadas pela Anvisa na Rússia (Generium e Pharmstandard UfaVita), obrigação de análise de todos os lotes que comprove ausência de vírus replicantes e outras características de qualidade e notificação de eventos adversos graves em até 24 horas.

Na reunião, os importadores apresentaram relatório técnico de avaliação do Ministério da Saúde da Rússia. Foi apresentado também o ofício emitido pelo Consórcio do Nordeste que solicitava excepcionalidade no recebimento das doses.

Secretário de Saúde do Estado da Bahia, Fábio Vilas-Boas, comemora a liberação da Anvisa

A autorização da Anvisa então é para a importação excepcional e temporária das doses desse imunizante para cerca de 1% da população de cada estado do Nordeste. Por meio da divisão do Consórcio do Nordeste, a Bahia que irá receber 300 mil doses, o Maranhão 141 mil doses; Sergipe 46 mil doses, Ceará 182 mil doses, Pernambuco 192 mil doses e Piauí com 66 mil doses. Essas doses serão enviadas para esses estados ainda em junho de 2021.

Governador da Bahia, Rui Costa, lamentou em suas redes sociais o reduzido número de vacinas

O Governador da Bahia, Rui Costa, e o Secretário de Saúde do Estado, Fábio Vilas-Boas, comemoram a aprovação da Anvisa. Porém, mais tarde Rui Costa lamentou o reduzido número de does liberadas para o estado. “É apenas o início, mas depois de muita luta conseguimos aprovação para importar e aplicar a Sputnik V. A quantidade autorizada pela Anvisa está muito abaixo da real necessidade. Agora, é batalhar para fazer chegar logo o que foi aprovado e vacinar nosso povo. Vacina salva vidas”, disse o governador em suas redes sociais.

No caso da Covaxin, os quatro milhões de doses deverão ser utilizadas sob responsabilidade do Ministério da Saúde. As condições impostas para autorização desse imunizante são que todos os lotes destinados ao Brasil tenham sido fabricados após as adequações de Boas Práticas de Fabricação (BPF) implementadas pela fabricante Bharat Biotech, que seja apresentado o certificado de potência para todos os lotes, que também seja feita a entrega e avaliação pela Anvisa dos dados referentes a dois meses de acompanhamento de segurança do estudo clínico de fase 3 e a liberação de todos os lotes quanto aos aspectos de qualidade por análise laboratorial pelo Instituto Nacional de Controle de Qualidade em Saúde (INCQS) da Fiocruz.

Além disso, só poderão tomar as doses da Sputnik V e a Covaxin, pessoas com idade acima de 18 anos e abaixo de 60 anos. Gestantes, puérperas, lactantes e indivíduos com comorbidades, também não poderão ser imunizados com essa vacina.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *