Covid-19 já atingiu 161 povos indígenas

Os estados com maior número de mortes de índios são o Amazonas com 211 mortes, Mato Grosso, 143, e Mato Grosso do Sul com 94 vidas perdidas 17 de dezembro de 2020 Felipe Ribeiro

Nesta quinta-feira (17/12), a Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (Apib) divulgou que 161 povos indígenas já foram afetados pela covid-19, com 42.192 casos confirmados e 894 vidas de índios perdidas para a doença.

O primeiro caso ocorreu no dia 25 de março, na tribo Kokama, no município Santo Antônio do Içá, no Amazonas. Um médico, que tinha vindo de São Paulo a serviço da Secretaria Especial de Saúde Indígena (Sesai), estava infectado com a covid-19 e passou o vírus para uma jovem de 20 anos da tribo. Para a Apib, a Sesai é uma das principais responsáveis pela transmissão do vírus, que já atingiu o Vale do Javari, onde estão os povos mais isolados  no mundo.

Os três estados brasileiros que registram maiores índices de óbitos causados pela covid-19 são Amazonas (211), Mato Grosso (143) e Mato Grosso do Sul (94).  A Bahia ocupa o 15° lugar da lista com o total de oito mortes, sendo os povos mais afetados os Tupinambá de Olivença e Pataxó.

A Apib tem criticado o presidente da República, Jair Bolsonaro, pelos ataques e a desassistência dos povos indígenas. “Com discursos carregados de racismo e ódio, Bolsonaro incentiva a violência contra nossas comunidades e paralisa as ações do Estado que deveriam promover assistência, proteção e garantia de nossos direitos”, afirma a publicação realizada no site da entidade. “De março a novembro, foram registradas mais de 200 violações dos direitos humanos fundamentais contra os povos indígenas. Uma situação alarmante que piora a cada dia.”.

Quanto às mortes por covid-19, a entidade tem lamentado cada vida perdida. “Muito mais do que números, eles eram nossos xamãs, nossas orações, parteiras, anciãos e chefes que partiram. Perdemos nossos idosos, aqueles que guardam as lembranças de nossos ancestrais, guardiões do conhecimento, das canções, das orações, da nossa espiritualidade. Líderes que dedicaram suas vidas à luta pela defesa do território, da integridade e da existência física e cultural de seus povos. Sofremos em nosso luto por esta tragédia que atinge não apenas a nós indígenas, mas a toda a humanidade.”

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *