Covid-19 já é a maior causa de mortes de jovens e crianças de 10 a 19 anos no Brasil

A morte de crianças e jovens pela covid-19 já representa 0,5% do total dos óbitos da doença no país 22 de julho de 2021 Carolina Lapa

Em 2021, 1.581 crianças e jovens, entre 10 e 19 anos, morreram no Brasil em decorrência de complicações da covid-19. Até segunda-feira (19/07), a pandemia já tinha matado 168 pessoas desta faixa etária por mês no país, 0,5 % do total dos 543 mil óbitos registrados da doença. Esses dados são dos cartórios de registro civil do país, que foram identificados e sistematizados por uma equipe de jornalismo do site Uol.

De acordo com o Sim (Sistema de Informação sobre Mortalidade), do Ministério da Saúde, nenhuma doença ou conjunto de causas naturais matou tantas crianças e jovens como a covid-19 nos últimos cinco anos anteriores à pandemia (2015-2019). Em 2019, o câncer vitimou 1.406 jovens, menos que as vítimas. O número médio de óbitos mensais pela covid-10 só perde para duas causas externas – acidentes de trânsito e agressões.
O epidemiologista e professor da UFS (Universidade Federal de Sergipe), Paulo Martis-Filho, em entrevista ao Uol, disse que o aumento do número de hospitalizações e óbitos por covid-19 tem sido observado desde fevereiro e março de 2021. Isso é um reflexo da alta taxa de transmissão comunitária e circulação de variantes de preocupação em território nacional.

Apesar das taxas de mortalidade serem baixas, elas são influenciadas pelas condições socioeconômicas. “Para as crianças, a pandemia também foi associada a profundas mudanças educacionais, sociais e psicológicas, insegurança alimentar e aumento do risco de resultados adversos graves que podem resultar em morte em regiões mais carentes. A mortalidade por covid-19 em crianças em países de alta renda é extremamente rara, mas a doença surgiu como uma nova causa de morte entre crianças em comunidades pobres, conforme observado nas regiões Norte e Nordeste do Brasil”, explicou o epidemiologista.
Segundo Martins-Filho, as evidências científicas apontam que crianças têm menor suscetibilidade ao Sars-CoV-2, e isso ocorre possivelmente devido à diminuição da expressão da enzima conversora de angiotesina 2 [ACE2] nas vias aéreas superiores. “Nós temos encontrado uma taxa maior de hospitalização especialmente entre aquelas com menos de 2 anos. Resultados semelhantes têm sido descritos em pacientes pediátricos com covid-19 na China, África do Sul e Estados Unidos, por exemplo”.

Já a pediatra e diretora da SBIm (Sociedade Brasileira de Imunizações) em São Paulo, Melissa Palmieri entende como normal a alta de mortes. “Com um maior número de casos, é fato que nós teremos mais pessoas que podem evoluir com gravidade”. Nesse contexto, ela enfatizou que a faixa etária de adolescentes também está inserida, e que a maioria dos desfechos graves estão muito relacionados a casos que tinham comorbidades subjacentes.
Palmieri disse que ainda estão sendo estudados fatores genéticos específicos que evoluam para desfechos mais graves, no entanto, é essencial vacinar os grupos com comorbidades na faixa etária de 12 a 17 anos. “O importante é proteger aqueles que sabemos que têm chances de evolução desfavorável pela doença.”
Um pedido foi feito ao Ministério da Saúde pelo secretário da Saúde do Ceará, Carlos Roberto Martins Sobrinho, na sexta-feira passada, solicita que a população de 12 a 17 anos com comorbidades e em situação de vulnerabilidade social seja incluída pelo PNI (Programa Nacional de Imunizações).

Atualmente, apenas São Luís começou a vacinar adolescentes abaixo de 18 anos. São Paulo e outras cidades já informaram que pretendem iniciar em agosto a vacinação de adolescentes.
Covid-19 em Conquista
Boletim Vitória da Conquista O município de Vitória da Conquista recebeu na tarde de ontem (21), 6.780 doses, a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) vai ampliar a vacinação nesta quinta-feira (22), disponibilizando a 1ª dose para a população com 41 anos ou mais para trabalhadores da Educação com 25 anos ou mais, gestantes, puérperas e lactantes maiores de 18 anos, e bancários com 18 anos ou mais.

O boletim epidemiológico Municipal, divulgado na noite desta quinta-feira (22), registrou 82 novos casos de Covid-19. Desde o início da pandemia, foram contabilizados 33.648 casos confirmados no município, com 32.785 recuperados e 287 em recuperação, sendo 46 internados e 241 em tratamento domiciliar. 1944 casos aguardam confirmação laboratorial, 576 óbitos foram confirmados em Conquista e a taxa de ocupação dos leitos de UTI’S (Unidade de Terapias Intensivas) é de 77,1%.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *