“Não é o momento de aglomerar”, diz pesquisador da Fiocruz

Para reverter o atual momento, é importante seguir as medidas de segurança corretamente, como usar máscara, manter o distanciamento social e lavar as mãos com sabão ou álcool gel. 11 de março de 2021 Renata Batista

O coordenador do Observatório Covid-19 da Fiocruz, Carlos Machado Freitas, alerta que o Brasil encontra-se em um novo patamar da pandemia. O país enfrenta um sério agravamento em diversos indicadores, como o crescimento do número de casos e óbitos, alta incidência de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG), alta positividade de testes e a sobrecarga dos hospitais.

Diante do atual cenário, com a marca de mais 270 mil mortos e mais de 11 milhões de casos, o pesquisador ressalta que as medidas de prevenção devem ser adotadas de forma ainda mais rigorosa. “Esse é um novo patamar da pandemia e exige de nós, mais que nunca, de forma individual e coletiva adotar as medidas de proteção”.

Após meses desde o início da pandemia, a população já está cansada e muitas pessoas deixam de se cuidar corretamente, o que tem contribuído para o aumento do número de infectados. No entanto, para reverter o atual momento, é importante seguir as medidas de segurança corretamente, já que a covid-19 se espalha principalmente durante o contato próximo entre pessoas, quando há troca de gotículas respiratórias produzidas por ações como a fala, a respiração e a tosse.

As recomendações são de manter o distanciamento social, usar máscara em público e lavar as mãos com frequência. “Esse momento exige um esforço coletivo, pois, se não adotarmos essa medida não só teremos a piora da pandemia nas próximas semanas, mas se continuarmos a agir assim essa piora prosseguirá nos próximos meses”, alerta o pesquisador.  

 Confira a entrevista completa no vídeo abaixo. 

Fonte: @oficialfiocruz

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *