Fiocruz amplia capacidade de testagem da covid-19 no Brasil

A testagem vai ajudar a descongestionar os Laboratórios Centrais de Saúde Publica (Lacens) 13 de agosto de 2020 Janaína Borges

Fiocruz iniciou, na unidade localizada na sede da Fundação no Rio de Janeiro, a produção diária de 15 mil testes moleculares da covid-19 para serem aplicados na população. Em agosto, a unidade do Ceará vai processar mais 10 mil testes.

A iniciativa é uma estratégia de apoio aos Laboratórios Centrais de Saúde Publica (Lacen) dos estados e também de ampliação do processamento nacional das amostras. Essas novas instalações, no Rio de Janeiro e o Ceará, vão utilizar a metodologia de PCR em tempo real e possuem potencial para funcionar em tempo integral, sete dias por semana. A estimativa é que mais de 350 profissionais capacitados se revezem nos três turnos operacionais para processar as amostras que forem enviadas pelo Ministério da Saúde.

“A Fiocruz vem buscando ser parte da resposta à crise humanitária que estamos vivendo desde o início da pandemia. A nossa tradição de 120 anos e a presença em todas as regiões do país nos permitem contribuir com o Ministério da Saúde na estratégia nacional de testagem. Além da mobilização das nossas unidades regionais no apoio aos Lacens locais, unimos esforços para implantar as Unidades de Apoio, que permanecerão como legado para o sistema de vigilância nacional e para o Sistema Único de Saúde (SUS) mesmo após o fim da emergência”, aponta a presidente da Fiocruz, Nísia Trindade Lima.

“Sabemos o quanto a testagem em massa é importante não apenas do ponto de vista clínico, mas também no que tange a implementação das medidas de controle da pandemia e da dinâmica social. O início da operação dessas novas unidades consolida o esforço da Fiocruz de um lado na produção dos testes e, do outro, no processamento das amostras”, destaca o vice-presidente de Produção e Inovação em Saúde da Fiocruz, Marco Aurélio Krieger.

Os três pilares centrais de atuação foram responsáveis pela expansão da capacidade nacional de testagem pela Fiocruz, primeiro, foi o desenvolvimento e a produção dos testes em grande escala, o segundo, o apoio dos Lacens, da logística de insumos e de amostras, e por último, a implantação das Unidades de Apoio Diagnóstico da covid-19, no Rio de Janeiro e Ceará.

Com a contribuição dessas novas unidades de apoio, a quantidade de testes de RT-PCR processados, mensalmente, pode chegar a um milhão, o que vai descongestionar os Laboratórios Centrais de Saúde Publica (Lacens), além de ajudar no enfrentamento da pandemia.

“A capacidade dessas unidades foi planejada tendo em vista a implantação de uma estratégia mais massiva de testagem que está em andamento pelo Ministério da Saúde. Nesse momento, trabalhamos para apoiar a grande demanda dos Lacens”, afirma o vice-presidente de Inovação e Produção em Saúde da Fundação.

Fonte: Fiocruz
Foto: Governo do Tocantins

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *