MEC revoga retorno das aulas em janeiro de 2021 após recusa das universidades federais

Universidade de Brasília e Universidade Federal da Bahia se manifestaram imediatamente depois da publicação 2 de dezembro de 2020 Denilson Soares

Após  divulgar uma portaria de volta às aulas presenciais nas universidades federais em 4 janeiro de 2021, nesta quarta-feira (02/11), o Ministério da Educação (Mec) recuou, no mesmo dia, e revogou a publicação. A mudança está relacionada à recusa imediata das universidades em aceitar a determinação do governo Federal.

Na portaria de retorno, além das aulas presenciais em janeiro as instituições, havia a determinação da adoção de recursos educacionais digitais, tecnologias de informação e comunicação ou outros meios convencionais, para serem “utilizados de forma complementar, em caráter excepcional, para integralização da carga horária das atividades pedagógicas”. A adoção de um “protocolo de biossegurança” para evitar a propagação da covid-19 também estava descrito.

Entre as várias instituições que recusaram a portaria está a Universidade de Brasília (UNB), que, em nota, criticou o fato da flexibilização da regra ocorrer “em um momento de aumento das taxas de contaminação pelo coronavirus em diversos estados e no Distrito Federal”. A universidade também frisou que a pandemia “ainda não deu sinais de arrefecimento – pelo contrário”.

Outra instituição que respondeu em seguida à portaria foi a Universidade Federal da Bahia (UFBA). Segundo a reitoria, a instituição não colocará em risco a vida de sua comunidade, nem deixará de cumprir com autonomia, sua missão própria de ensino, pesquisa e extensão, informando ainda que reitera os termos da Resolução 04/2020, aprovada no dia 27 de novembro, que estabelece o trancamento especial dos semestres 2020.1 e 2020.2 para os alunos da graduação e da pós graduação da instituição.

Em entrevista à CNN, o ministro do Mec, Milton Ribeiro, disse que Ministério “vai liberar o retorno às aulas somente quando as instituições também estiverem confiantes de que as aulas podem ocorrer em segurança”.

Fonte: CNNBrasil/NotíciasVCA

Foto: bahianoar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *