UFMG realiza teste de vacina contra HIV no Brasil

O recrutamento para os testes será em cinco capitais: Belo Horizonte, São Paulo, Rio de Janeiro, Manaus e Curitiba 8 de fevereiro de 2021 Sara Dutra

A Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) conduzirá o estudo Mosaico no Brasil que irá testar a eficácia da vacina contra o vírus HIV. Os testes já começaram, mas os interessados podem se cadastrar até julho deste ano ou até o preenchimento total das vagas.

O professor da Faculdade de Medicina da UFMG, Jorge Andrade Pinto, coordenador do Grupo de Pesquisa em HIV/Aids em Crianças, Adolescentes e Gestantes, será o responsável pelos testes em Minas Gerais.

O estudo foi desenvolvido pela HIV Vaccine Trials Network (HVTN) e financiada pela farmacêutica Janssen e pelo National Institutes of Health (NIH) dos Estados Unidos. Ao todo, serão recrutados 3,8 mil pessoas, dentre elas, homens gays ou bissexuais, pessoas transgêneros entre 18 e 60 anos, HIV negativo, não usuários de profilaxia pré-exposição (PrEP) e pessoas que não tenham comorbidades contra indicadas para o uso dos imunizantes.

“O estudo Mosaico é um estudo de fase três de eficácia que busca responder às seguintes perguntas: a vacina nessa população é segura? Há algum desconforto ou reação adversa? A vacina é capaz de produzir uma resposta imune, efetiva e protetora contra o HIV? E por último se essa vacina é, portanto, capaz de prevenir infecção na população vacinada?”, disse Jorge Andrade.

O professor também explicou que serão “duas vacinas, uma vacina é de vetor viral contendo um vetor que é o adenovírus, em que são inseridos os componente imunogênicos do HIV, e uma vacina de proteína – de sequências proteicas do HIV”.

De acordo com Jorge, as pessoas que aplicam a vacina, assim como as que recebem, não saberão qual vacina será aplicada. Um grupo irá receber vacina e o outro placebo – uma substância neutra usada para comparação.

No Brasil, o recrutamento acontecerá em Belo Horizonte pela Faculdade de Medicina da UFMG; em São Paulo, o ensaio será realizado no Hospital das Clínicas da USP; Rio de Janeiro, na Fiocruz e Hospital Geral de Nova Iguaçu; Manaus, na Fundação Medicina Tropical e, por último em Curitiba, no Centro Médico São Francisco. A primeira inscrição em Belo Horizonte aconteceu em novembro de 2019.

O estudo terá duração de cerca de três anos, e é necessário que os participantes estejam disponíveis nesse período de tempo. Além do Brasil, o estudo também será realizado nos Estados Unidos, América Latina e Europa.

Os interessados em participar ou obter mais informações podem entrar em contato através do email [email protected] ou pelos telefones/ WhatsApp (31) 99216-0407 e 99331-3658.

 

Fonte: Agência Brasil

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *