Motivo do adiamento da terceira fase do comércio de Conquista é contestado

A justificativa alegada de que há número menor de leitos de UTIs no Hospital das Clínicas de Vitória da Conquista (HCC) foi desmentida pelo hospital e o governo estadual 21 de junho de 2020 Felipe Ribeiro

A terceira fase da retomada do comércio, que incluía os bares e restaurantes de Vitória da Conquista, foi adiada e não tem nova data definida ainda. A decisão de adiamento aconteceu, neste sábado (20/06), em uma reunião virtual do Comitê de Crise da Prefeitura e a justificativa alegada, número menor de leitos de UTIs no Hospital das Clínicas de Vitória da Conquista (HCC), foi desmentida pelo hospital e o governo estadual.

De acordo com o coordenador do Comitê e secretário municipal de Administração, Kairan Rocha, apesar do governo estadual ter anunciado a existência de 20 leitos de Unidade de Terapia no HCC, existiriam apenas 12 com respiradores. Desse total, dois seriam de aparelhos de reserva para o caso de algum outro respirador apresentar problemas. Seriam então 10 leitos de UTI no HCC e na cidade um total de 40. Com esses dados, a taxa de ocupação de UTIs seria de 68,33%, o que leva a uma situação de alerta no município.

O HCC contestou as informações da gestão municipal. Em nota, o hospital esclareceu que “os 20 leitos de UTI destinados exclusivamente ao atendimento de pacientes com covid-19 atendem as resoluções da Anvisa e estão em conformidade com a lei”.

Já o governo do estado, por meio do secretário de Saúde da Bahia, Fábio Vilas-Boas, foi incisivo. Ele disse que o prefeito Herzem Gusmão (MDB) é “despreparado” e que não tem “conhecimento técnico” sobre os equipamentos de enfrentamento à covid-9. “O governo do estado tem monitorado todas as UTIs contratadas e, havendo necessidade, mais respiradores serão enviados.”

Foto: Janaína Borges

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *